Golden Gate e outros passeios por San Francisco – CA

Apesar de ter dito no post da famosa Livraria City Lights, que nem só de Golden Gate vive San Francisco, uma visita até a ponte é parada obrigatória, sim! E já tratamos de visitá-la em nosso primeiro dia em San Francisco, para garantir, já que o tempo lá nem sempre coopera.

Em nosso primeiro dia, saímos da cidade de Monterrey às 08:30 da manhã e fomos ainda dar uma passadinha no Googleplex (se você está indeciso se deve ou não colocar o Google em seu roteiro, leia esse post). De lá, seguimos viagem em direção a San Francisco, mas paramos em San Carlos, cidade na qual nos hospedamos. Nosso hotel era o Fairfield Inn, ao lado do aeroporto de San Carlos. O bom é que nos deixaram fazer o check-in antes das 15:00 — horário a partir do qual, em regra, os hotéis nos EUA permitem o check-in. Ao lado do nosso hotel, ainda, havia um Burger King, que foi onde almoçamos.

Em relação ao hotel, o que posso dizer?

Valeu a pena. O café da manhã foi surpreendentemente bom, com opções até para mim que tenho certas restrições alimentares. Creio também que, dentre os 04 hotéis que ficamos nessa viagem de setembro/2018 na Califórnia, este tenha sido o melhor. Fomos muito bem atendidos pelos funcionários, que foram muito educados, solícitos e simpáticos; os quartos eram bem limpos, havia bastantes vagas para carros (sei que parece bobagem, mas nos outros hotéis tivemos problemas com vaga para deixar nosso carro) e tinha até academia no andar que ficamos. Para quem se anima… fiquem à vontade!

Eu recomendo também procurar hotéis em regiões que não sejam em San Francisco, principalmente em San Francisco Downtown, porque os preços costumam ser mais altos, e quase nunca contam com estacionamento próprio — o que é um gasto a mais. Há muitos hotéis também bem “xexelentos” no centro. A menos que você esteja numa viagem estilo mochilão, e sem carro, não creio ser o melhor lugar para ficar. San Carlos dá cerca de 30min de carro até as partes mais turísticas de San Francisco. Nada que um bom planejamento não ajude compensar o tempo de deslocamento, certo?

E bom… Já quanto ao Burger King ali ao lado: não recomendo — péssimo atendimento.

Mas, então, após estarmos todos alimentados, fomos finalmente à Golden Gate!

E vamos ao que interessa!


Fazia uma tarde bem gelada no dia 21 de setembro (2018) em San Francisco. E como estava ventando! Infelizmente, também, o céu estava com bastante neblina, então não deu para ver a ponte inteira. Mas ela é absolutamente linda de qualquer maneira. Então, ainda que você dê o azar de passar por San Francisco num dia chuvoso ou nublado, vá ver a ponte, nem que seja de algum dos pontos em que você pode vê-la de dentro do carro mesmo.

LRM_EXPORT_4742015854960_20180921_160121553

Para avistar a Golden Gate, há alguns pontos pelos quais você pode optar. Pesquise! Há os lugares que fomos e vou falar aqui, mas também há outros (Fort Point, Golden Gate Overlook, Golden Gate Bridge Vista Point, etc, pra citar alguns). Primeiro, deixamos o carro no Southeast Side Visitor Parking Lot. É preciso pagar, num guichê, pelo tempo que você deseja ficar. Ah! E uma informação de utilidade pública extra: há banheiros ao lado desse guichê, que talvez seja o mais na mão que você irá encontrar se estiver visitando a ponte.

Tiramos algumas fotos a partir de Battery East e também fomos fazer algo que amo muito: visitar a lojinha de souvenires! Essa loja é a a Golden Gate Bridge Welcome Center, onde comprei um set de marcadores de páginas magnéticos. Uma recordação do lugar bem bibliófila. Também tem lembrancinhas de outros lugares de San Francisco, como Alcatraz, que não fomos dessa vez.

 

Do Welcome Center, fomos caminhar pela Golden Gate. Andamos só até a primeira torre, tirando muitas fotos da ponte e contemplando a baía e a cidade de San Francisco ao longo da nossa pequena caminhada. Não andamos pela Golden Gate toda, já que ela tem mais de 2.7 km de extensão, e ainda queríamos fazer muitas coisas em San Francisco. Mesmo assim, só nesse trecho que andamos, e também desde a primeira vez que seus olhos a veem, já dá para sentir toda a sua imponência! Não é à toa que ela é uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno.

LRM_EXPORT_6651489255534_20180921_203859586
Vista do Battery East

A experiência: 

A ponte estava inicialmente aberta de um lado apenas, para que pedestres e ciclistas dividissem a passagem. Há placas indicando que os pedestres devem ficar à direita, deixando a esquerda para os ciclistas. Mas estava bem tumultuado, afinal, todos queríamos tirar fotos, e, invariavelmente, um pedestre se postava à esquerda para posar pruma foto, e um ciclista também encostava a bike para tirar fotos da cidade ao fundo. O que me assustou, porém, foram alguns ciclistas desnecessariamente grosseiros e estúpidos com os pedestres. Houve uma ciclista que bateu dando de ombro com tudo em um pedestre ao passar correndo, e ainda gritou com ele. Um pouco violento, não? Por mais que haja sinalizações para deixar a esquerda livre para ciclistas, não me pareceu nada proporcional e de bom senso a atitude da ciclista, já que bikes também invadiam a direita, e nem por isso havia pedestres chutando bicicletas ou coisas do tipo. Por sorte, um agente policial da Bridge Patrol estava de olho no fluxo da ponte, e resolveu abrir o outro lado da ponte somente para os ciclistas, proibindo o acesso deles do lado que estávamos; inicialmente o único aberto.

IMG_20181018_091746_135
De preferência, fique à direita para as fotos e evite problemas!
IMG_20180922_105321_070
Golden Gate sempre linda!  Vista a partir de Battery East

Depois de muito vento gelado e susto com os ciclistas irados, fomos tomar um café bem quentinho na Roundhouse Café, de onde se tem uma vista bem legal da ponte. Mas fiquei bem triste com o mau cuidado com o lugar. O chão da cafeteria estava super sujo, e o atendimento do caixa, que era um senhorzinho, deixou muito a desejar. Ele até quis embolsar o troco do meu irmão. Que mau caráter! A parte boa, porém, além da vista e de podermos nos aquecer um pouco, ficou também por conta dos jovens atendentes que preparavam as bebidas, que eram o completo oposto do senhorzinho do caixa: super animados e simpáticos. Eu pedi um chocolate quente, e meu marido, o Fog Cutter Mocha e um cookie. Ele aprovou os dois, e o meu chocolate também caiu muito bem! O total desse agrado não foi muito barato. Saiu tudo por $14.11, mas eu estava precisando. Lá no Café, ainda, havia uma dessas máquinas de Collection Coin, onde, claro, fizemos uma da Golden Gate Brigde.

IMG-20180923-WA0010
Chocolate quente no Roundhouse Café

Da Roundhouse, fomos de carro até o Battery Spencer, em Sausalito, para tirar mais fotos, dessa vez, do outro lado da ponte.. O céu do lado de Sausalito estava mais azul ao fundo, o que foi legal, embora ainda tivesse muita fog na ponte.

Perto de Battery Spencer, tem o Fort Baker, bem famoso, em Sausalito também. O mais legal lá em Fort Baker, foi lembrar da Dani e do Paulo (fã de Dani Noce sim!) no mesmo lugar! Que emoção! Fomos no dia seguinte (22/09), tentando mais uma vez ter uma vista melhor da ponte. Mas estava com fog de novo! E no dia, ainda, estava tendo uma corrida, e o lugar que geralmente se permite estacionar carros estava fechado. Deixamos o carro onde todo mundo estava deixando, e os policiais no local não estavam fazendo vista grossa, creio que por conta da corrida.

Infelizmente, precisei ficar mais dentro do carro, porque não estava preparada para o frio que estava fazendo. Por isso, conselho meu: levem blusa para San Francisco, em QUALQUER estação do ano! O tempo muda muito depressa nessa cidade num mesmo dia! E olha que não me faltaram avisos nesse sentido. Agora, eu igualmente alerto você, caro leitor.

Retomando o que dizia do dia 21/09, depois do Battery Spencer, passamos de carro pela Lombard Street (sim, porque se você não for descer do carro e tirar fotos nela, tem que ao menos passar de carro por ela!), e fomos andar um pouco por Chinatown. A Chinatown de San Francisco é bem grande, e é uma das maiores comunidades chinesas fora da China. Também é um dos lugares mais visitados pelos turistas em San Francisco. Lá você pode perder horas entrando em lojinhas à procura de bugigangas, comendo em restaurantes típicos e bebendo chás, ou mesmo tirando fotos em suas ruas bem artísticas ou coloridas.

received_471328930023775
Street Art em Chinatown

Foi ao final do passeio por Chinatown que visitamos a Livraria City Lights que mencionei no início deste post. A livraria fica encostada em Chinatown, então fizemos esse bem-bolado, unindo os gostos turísticos peculiares de cada um do nosso grupo: minha mãe e meu irmão de um lado, e eu e meu marido de outro.

Por fim, mas não menos empolgante, pegamos o carro e fomos até a Macy’s de Downtown, onde estacionamos o carro, e jantamos no Cheesecake Factory, que é uma das minhas redes de restaurantes favoritas dos EUA. Eles possuem MUITA variedade de pratos no cardápio, com opções inclusive sem glúten para mim e minha mãe!

IMG-20180922-WA0002
Dá pra acreditar que esse lanche é sem glúten?
IMG-20180922-WA0001
E essa torta, então? É a minha favorita: Godiva Cheesecake

Gostou das dicas do post de hoje? Ficou com vontade de conhecer São Francisco? Continue acompanhando o blog, que trarei mais dicas e contarei mais das minhas experiências por essa cidade maravilhosa!

Até a próxima!

2 comentários Adicione o seu

  1. Monica disse:

    So de ler o post fiquei com vontade de voltar para SF. Dependendo o roteiro de viagem, SF é passagem obrigatória. Sempre há algo de novo, ou algo que vale a pena ver de novo. 😍

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s