Mafalda – Paseo de la historieta – Buenos Aires

A famosa personagem de tirinhas, Mafalda, criada pelo cartunista argentino Quino é um ícone em Buenos Aires. A cidade está repleta de homenagens à garotinha que protesta pela paz mundial e odeia sopa.

Meu primeiro contato genuíno com as historinhas da Mafalda se deu em 2009, quando comecei a cursar espanhol. Eu costumava retirar livros disponíveis aos alunos para empréstimo a fim de treinar um pouco mais o idioma. E um dos livros que peguei foi dessas coleções de tirinhas da Mafalda. Foi amor à primeira vista.

Embora até hoje meus “quadrinhos” preferidos sejam Calvin & Hobbes (Calvin e Haroldo, no Brasil), eu passei a admirar essa garotinha que chegou a estampar o pôster da UNICEF, sobre a Declaração Universal dos Direitos da Criança.  Assim, fiz meu irmão me trazer o nada modesto volume de TODA MAFALDA, quando ele teve uma oportunidade de viajar a Buenos Aires.

_DSC6017

Alguns anos depois, mais precisamente em julho/2016, eu e meu marido acabamos elegendo também a “cidade do tango” como nosso destino de Lua de Mel. Como a cidade é riquíssima em livrarias, não tive dúvidas que meu esposo fosse curtir a viagem, e que ela se tornaria inesquecível.

Mas para os fãs de Mafalda, minha recomendação, caso tenha a oportunidade de visitar a capital portenha, é de dar uma conferida em “El paseo de la historieta“, no bairro de San Telmo, entre as calles Chile e Defensa. Já adianto que é bem simples. Nós nem andamos realmente por todo o “paseo“, porque só me interessava a Mafalda, que “abre” a caminhada.

Nós nos hospedamos no bairro Retiro, bem próximo às Galerías Pacífico. Como não nos importamos em andar, planejamos no dia tomar café da manhã no famoso Café Tortoni, andar ao longo da Avenida de Mayo, visitando todas as librerías que nos apetecessem, fazendo uma parada rápida no Café London City para uma foto (e outro cafezinho), e tomando alguns desvios até chegar a San Telmo. Almoçamos por lá também, no Bar El Federal, e, ainda em San Telmo, visitamos mais livrarias. Acredito que tenha sido o dia que mais fomos a livrarias e cafés, pois, na volta, ainda fomos ao Petit Colón e visitamos praticamente todos os sebos e livrarias que encontramos pelo caminho!

Enfim, voltando ao que eu dizia sobre o paseo. Haverá estátuas de alguns personagens da Mafalda, que podem variar de dia para dia. Tive sorte que no dia estavam os três: Mafalda, Manolito e Susanita. Como eu disse, nós não nos imiscuímos em direção ao resto da caminhada.  Se você decidir ir em frente, aviso que o trajeto tem cerca de 1,2km, partindo de San Telmo até chegar em Puerto Madero, no Museo del Humor. Ao longo do percurso, haverá estátuas de outros personagens, mas eu realmente não os conhecia e ainda havia todo o caminho da volta, de modo que optamos por deixá-los de lado.

Logo em frente onde se inicia o passeio, (em que estou com os personagens), há também uma lojinha de souvenirs da Mafalda. Sinceramente, eu não me interessei por nada. Acredito que passeando pela cidade haverá muitas oportunidades de se deparar com lembrancinhas dela, e ainda penso que a melhor opção seja realmente comprar um livrinho de tirinhas em espanhol, ou canecas que vendem por toda Buenos Aires, inclusive em El Caminito, onde comprei ímãs de geladeira da personagem.

Esse longo dia de andança terminou com um espetáculo de tango. Em vez dos tangos em restaurantes ou os famosos tangos de rua, optei por ver um verdadeiro show, sentada, como uma espectadora que só se delicia com a performance e mais nada. Assim, já havíamos reservado tíquetes para a Compañía Bien de Tango, que iria se apresentar no Centro Cultural Borges, que fica dentro das Galerías Pacífico. Foi simplesmente incrível!

Foi um dia e tanto! De tudo que vimos e conhecemos nesse dia, a conclusão foi bastante óbvia: enquanto é verdade que temos lá nossas rixas no futebol, devo admitir que nossos hermanos estão quilômetros à frente de nós em termos culturais. De alguma forma eles parecem ter incorporado em seus cotidianos um pouco da frase de Mafalda: “¿No sería maravilloso el mundo si las bibliotecas fuesen más importantes que los bancos?

4 comentários Adicione o seu

  1. Monica disse:

    Adorei!!! Viajei eqto lia. ❤️❤️❤️❤️❤️

    Curtir

  2. Eu me empolgo. Que café incrível de lindo! Parece estar na Inglaterra mesmo. Que beleza é Buenos Aires.
    Vou ler Mafalda, kkk

    “Não seria maravilhoso o mundo se as bibliotecas fossem mais importantes que os bancos?”
    Isso quer dizer tanta coisa…

    Obrigado.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Isa Ueda disse:

      Sua empolgação é contagiante e uma enorme satisfação para mim. Obrigada por visitar os posts mais antigos do blog!

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s