Resenha: Procurando Gobi – Dion Leonard

Sinopse: O ultramaratonista australiano, residente em Edimburgo (Escócia), Dion Leonard, ao participar de uma prova multietapas composta por 250km a serem percorridos na China, no deserto de Gobi, acaba sendo acompanhado durante boa parte da corrida por uma determinada cachorrinha que, sem maiores explicações, a ele se apega. Logo Dion também percebe que a pequena vira-lata cor de areia é muito especial e faz a promessa de levá-la para sua casa, na Escócia. O problema é que, nesse meio tempo, ao tentar resolver as burocracias para trazê-la para Edimburgo, Gobi se perde na cidade de Ürümqi, na China. O livro é um emocionante relato de como a cachorrinha – que ganhou o nome de Gobi, tal qual o deserto da ultramaratona – entrou na vida de Dion, transformando-a, e sobre toda a busca incessante, cheia de altos e baixos, para encontrar esse animalzinho tão pequeno, mas de enorme coração.

P_20180531_072535_vHDR_Auto

Este livro é uma cortesia de:

eu sou parceiro_HC-v3-02


Como eu gosto de ler livros de não-ficção!

Essa leitura para mim já começou muito interessante, porque eu simplesmente adoro ler livros sobre maratonistas. Eu sou uma corredora super amadora que, com muito esforço, consegue terminar uma corrida de 10km. Mas por gostar de correr, eu realmente curto muito ler livros que tragam as experiências de corredores profissionais ou simplesmente muito, muito melhores que eu. Eu consigo entender o sentimento desses atletas, e creio que isso cria uma conexão diferente com a leitura.

Dion diz que ele mesmo não gosta exatamente de correr. Ele gosta de competir. Competir, disputar, é sua paixão. Eu já gosto muito de ambos. Mas sei como é a euforia de chegar na frente de centenas de pessoas numa prova. É realmente gratificante, porque no fundo, a corrida é um esporte de natureza solitária. Embora se dispute com centenas de outras pessoas, na verdade, corredores estão sempre numa luta constante de vencer a si mesmo. Cada corrida com um melhor tempo não é apenas um melhor tempo em relação aos outros, mas a si mesmo.

P_20180601_163824_vHDR_Auto

Quando a cachorrinha surge no meio da disputa, no entanto, Dion não estava esperando ter de priorizar nada a não ser ele mesmo. Mas a cachorrinha o escolhe, por algum motivo. E todos dizem a Dion “você sabe o que tem de fazer”. “O quê?”, pergunta ele. “Tem que dar um nome para ela”. E então Dion a chama de Gobi. A partir de então, Gobi irá lhe ensinar muita coisa, principalmente que nesses tipos de corrida, longas, desgastantes e que desafiam qualquer ser humano, a solidariedade é mais importante que a solitude.

Porém, findo o relato da corrida em si com muitas divagações pertinentes sobre o passado de Dion, é que começam os verdadeiros percalços inimagináveis. Afinal, Dion já havia corrido outras ultramaratonas, inclusive no deserto, submetido a temperaturas absurdas. Mas nada havia lhe preparado para o que viria depois, ao tentar levar Gobi para casa.


Aprendi muita coisa com essa leitura. Ou, se não foi propriamente uma novidade, o livro me fez refletir muito sobre coisas que geralmente não paramos para pensar. A começar pela rotina de treinos de Dion, que achei impressionante! Também fiquei conhecendo a caricata figura de Cliff Young, que achei simplesmente o máximo! Mas foi muito mais além disso. Por exemplo, eu sabia que na China havia a dificuldade da linguagem em si, mas eu, talvez muito ingenuamente, pressupunha que houvesse mais pessoas que falassem inglês. Tudo que Dion nos conta, porém, mostra o contrário. Essa foi a primeira barreira. Depois, todas as burocracias e custos altíssimos para se trazer um animal de um país para outro. Eu ignorava tudo isso! E então ideias conspiratórias sobre o sumiço de Gobi surgem e deixam qualquer leitor assustado.

P_20180601_163728_vHDR_Auto

Mas felizmente, uma das maiores lições do livro, creio eu, seja a de nos fazer ver que ainda existem muitas pessoas boas no mundo. Não apenas pessoas como Dion, predispostas a adotar incondicionalmente uma cadelinha de rua; Dion precisava de Gobi, embora de início não soubesse disso. O que é extremamente alentador, no entanto, é ver uma horda de pessoas entusiasmadas envolvidas no processo, e que não tinham nada a ganhar com isso, mas que se importaram com Gobi e com o bem estar de Dion. Só de ter vislumbrado esse apoio todo dado a Dion, para mim a leitura já valeu muito a pena!


Informações adicionais sobre o livro:

Capa comum: 256 páginas

Editora: HarperCollins; Edição: 1ª (14 de maio de 2018)

Título Original: Finding Gobi

ISBN-10: 8595083363 – ISBN-13: 978-8595083363

2 comentários Adicione o seu

  1. Monica disse:

    Tive uma fase de corridas, sempre tive um vies atleta. Mas, por motivos outros, atualmente estou preguiçosa !
    A resenha me fez lembrar do livro O gato chamado Bob … como um animal pode mudar a nossa vida …

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s