Things my son needs to know about the world – Fredrik Backman

Nesse pequeno livro, dedicado à mãe e ao filho de Fredrik Backman, fui levada mais uma vez a um passeio pela vida. Sim, pela vida.

Uma vida em perspectiva, tanto lançando meu olhar ao passado quanto ao futuro, o próximo, de amanhã, mas também do longínquo, que na verdade nunca é tão distante assim.

Passado porque inúmeras situações narradas no livro, hilárias ou não, ecoaram com experiências igualmente vividas por mim e meu marido, e, futuras porque acredito que muito do que Backman deseja a seu filho é o que toda mãe e todo pai desejam.

Assim, o livro que ironicamente simula um manual de instruções ao filho sobre o que ele precisa saber sobre o mundo, nada mais é que uma tentativa, imagino eu, de conversar descontraidamente com ele sobre os próprios desafios, medos, expectativas, frustrações, mas também alegrias, alentos e comédias (sim) da paternidade. Se houvesse um manual, todo pai e mãe iria querer.

Mas o que achei mais especial nesse livro é ele ser um olhar de um pai falando sobre o que é criar um filho. Não faltam livros, perfis no Insta, canais no YouTube e blogs de mães compartilhando o gestar e o maternar delas com o mundo (e majoritariamente com outras mulheres, que são quem acaba acompanhando no final das contas), e, com algumas poucas exceções, lamentavelmente, ainda não encontrei muitos homens falando tão aberta e dedicadamente sobre o paternar. Por isso, pais de plantão, LEIAM esse livro.

Aliás, com o Dia das Mães chegando aí no próximo mês, vou até propor uma ideia que foge do consumismo, pelo menos de forma direta. Em vez de se preocupar em dar um presente super top, que você acredite que consiga minimamente demonstrar a admiração e amor que sente pela sua esposa, companheira, mãe de seu(s) filho(s), presenteei-a com a dedicação de uma leitura. Dar livros é fácil. Mas você já dedicou a leitura de algum livro a alguém? Olha só que gesto mais maravilhoso. Se sua mulher já tiver lido o livro, então, melhor ainda. Vocês poderão depois conversar sobre ele. Será uma experiência que irá uni-los ainda mais, tenho certeza.

Mas voltando ao livro do Backman, preciso dizer que eu dei muitas risadas, algumas sob muito auto-controle, para não acordar meu filho,que dormia no meu colo, e o mínimo chacoalhar poderia acordá-lo (e só um louco acorda um bebê dormindo). Aliás, compartilho com Backman o fato de termos um bebê que acha que ficar acordado no 220v de madrugada é uma boa ideia, de que tudo se resume basicamente a excrementos e ter um monte de tralha em casa (e não só de bebês, mas nossas também).

A única coisa no livro que não encontrei um equivalente foi sobre como uma IKEA se faz presente na paternidade, porque não temos nada do tipo aqui, pelo menos não na minha cidade. Mas ainda assim consigo transportar a ideia geral do capítulo dedicado à loja para várias outras ocasiões (qualquer loja com carrinhos e corredores tá valendo).

Mas nem tudo foram gargalhadas internas. Eu também chorei demais com algumas passagens, e os choros não consegui segurar as lágrimas. Afinal, apesar de tudo que nos desafia na paternidade, o mais difícil mesmo não é o justamente fato de que não há garantia alguma? A garantia de que ele será feliz, de que irá compreender nosso amor e nossas decisões. As lágrimas virão, pais, se preparem. E em se tratando de Backman, eu sabia o que esperar. Ele já me faz passar por essa montanha-russa de emoções toda com seus livros de ficção, que sempre têm um ou mais personagens tão cheios de camadas que é impossível não encontrar ressonância com pessoas que conhecemos na vida real. Mas num livro que é praticamente uma carta ao filho? Ah não. Aí não me aguentei. Me desfiz em prantos.

Outra coisa que amei foi conhecer um pouco mais da vida pessoal do autor, que é um dos meus escritores favoritos. Passei a admirá-lo ainda mais.

Tenho receio de falar demais e cortar o barato da leitura, antecipando piadas ou aquela explosão de humanidade que Backman é mestre em criar em nossos corações, por isso, só posso mesmo dizer: leiam o livro, pais e mães, mas também filhos que amam seus pais, que querem compreender melhor os seus, que querem entender como o mundo, caótico, pelo menos do ponto de vista de um pai, funciona.


Dados Técnicos do Livro:

Formato: eBook Kindle, 149 páginas
Autor: Fredrik Backman
Editora: Penguin (6 junho 2019)
Tamanho do arquivo: 2129 KB
ASIN: B07KMQC6NS

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s