Grande casa à beira da estrada – Sallié Oliveira

Precisamos rever a violência nos pequenos atos nossos de cada dia.

Como alguém que há quase dois anos veio a se tornar mãe, o questionamento sobre quê mundo estou deixando de herança para meu filho foi inevitável neste percurso, tanto antes de seu nascimento como ao longo de seus primeiros anos de vida. À procura de leituras, informações e conteúdos que me servissem de guia para a transformação que queria ver primeiro em mim mesma, passei a consumir livros que discorressem sobre a forma como tratamos nossas crianças. Tem sido um grande aprendizado.

Não posso dar, obviamente, um mundo inteiro perfeito para ele, mas posso tentar me tornar cada vez melhor. E, por muito tempo, é principalmente aqui, a nossa casa, o nosso lar, que será o universo todo para ele.

O porquê de tudo isso acima neste texto-resenha, é a forma como consegui encarar essa leitura: pelos olhos de uma mãe, que nunca vai ficar cem por cento segura de que podemos proteger nossos filhos de tudo e todos. Nem deveria ser assim, claro, – criá-lo numa redoma de vidro – , mas me fez pensar exatamente sobre como a forma que o criamos também vai moldar seu modo de encarar o mundo, quase sempre hostil.

Fico feliz toda vez que, mesmo não estando de fato buscando numa leitura alguma reflexão sobre parentalidade, acabo a encontrando nas mais diversas literaturas, ainda que somente porque impossível afastar agora esse meu olhar de mãe.


“Grande casa à beira da estrada” traz a história de uma violência represada.

Jaque é resgatado de sua casa no pior dia de sua vida, e levado para bem longe, numa cidade que logo celebrará seus 200 anos. Muito bem acolhido nesta grande casa, Jaque vai aos poucos desvendando os segredos deste lar, e acaba se deparando novamente com a violência, da qual somos levados a acreditar que não há escapatória.

A violência está por todos os cantos: na brutalidade incontroversa de um soco ou de palavras de humilhação, mas também escondida atrás de sussurros, de gentilezas com estranhos e de indelicadezas com nossos familiares mais próximos, de partidas sem despedidas, de silêncios constrangedores.

Jaque está à espreita, atento a estes pequenos desencontros, só esperando para ver quando essa violência represada fará seu estrago.

A escrita de Sallié é uma rosa que brota em meio a um deserto, no que há de mais inóspito na humanidade. Embora a narrativa venha a elucidar a violência sempre presente em nossa sociedade, a beleza, a técnica e a emoção com que o autor impregna seu texto fazem o contraponto para que dessa fealdade nasça uma virtude.

O livro é um alerta de como há violência por detrás de grandes fachadas, sejam elas casas, pessoas, uma cultura toda; mas é também alento, uma bela performance do que a violência não consegue roubar daqueles que têm a alma carregada de poesia. Para mim, o livro não desemboca apenas na barbárie. Carrega junto dela uma esperança, a que eu vejo nascer dentro de mim toda vez que penso: podemos ser melhor que isso.

Uma leitura para se fazer de um só fôlego.

Um especial agradecimento à Valéria do Oasys Cultural*, pela sempre acurada seleção nesta parceria que já somam mais de dois anos. E obrigada, Sallié, por nos brindar como seu talento e enriquecer nossa literatura nacional


Dados Técnicos do Livro:

Capa comum: 168 páginas
Autor: Sallié Oliveira
Editora: Patuá (1ª edição, 2021)
ISBN: 978-65-5864-224-4
*Exemplar recebido em parceria com a Oasys Cultural. Adquira sua edição preferencialmente pelo site da editora.

1 comentário

  1. Que interessante! Realmente as mães se preocupam mesmo em como o mundo afetará seus filhos.
    Acredito também que a violência não consiga fazer mau a uma alma que tem em si a poesia, assim como não tem como roubar essa maneira poética de olhar para a vida, como este livro mencionou…
    A física quântica nos ensina que se acreditarmos num mundo bom, atrairemos tudo que é bom ao passo que se acreditarmos num mundo mau também atrairemos tudo que é mau.
    Sempre estamos certos. Então o cuidado é para acreditar no que é bom é positivo, desta forma atrairemos coisas boas e positivas.
    Parabéns por postar um conteúdo dessa qualidade, adorei.🌺😉🙏🏻

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s