O coração e outras armadilhas – Rebeca Liberbaum

Há algo de onírico nos textos de “O coração e outras armadilhas”. A ponto de me atrever a dizer que, ali, encontrei narrativas que tocam o realismo fantástico.

A realidade pode ser cruel. Isso é fato. Quando envolve questões do coração, atinge o ápice. Afinal, dor maior é aquela que sentimos junto à nossa carne pulsante, metaforicamente ou não. E se o realismo é duro assim, a magia encontrada nos sonhos, boa ou não, é que pode torná-lo mais suportável, talvez até cômico.

É nessa atmosfera que os contos de Rebeca Liberbaum oscilam.

“Meu coração”, texto que abre o livro, fez ressoar tão forte em mim suas palavras que vi ali meu próprio coração sangrando, enquanto ninguém à minha volta parecia notar.

A banalidade passa longe dos contos, mesmo que tragam inúmeras situações cotidianas.

A grande armadilha é justamente crer que a vida não pode ser surpreendente nos lugares-comuns: o tédio entre os casais, a traição dos amantes e amigos, a ansiedade do filho que vive o divórcio dos pais, a mãe que se doa por inteira ao filho, mesmo quando já adulto.

Mas não são as cenas absurdas que chocam. O que choca é perceber o quanto de real há no fantástico.

A facada vem da nossa própria epifania. Sobrevive a ela quem vai além da dor (do coração, claro).

Ao todo, são 23 textos, com estilos bem diferentes, que revelam a versatilidade da autora e seu talento como escritora. Se alguns deles escoam a vulgaridade das palavras, outros também nos lembram que a simplicidade às vezes pode ser mais eloquente do que o refinamento.

Tudo é questão de contexto. Uma agitação que come vírgulas; uma sucessão de pontuações que flui tão rápida como os pensamentos que só uma criança pode ter; a podridão do ciúme doentio e a repulsa ecoando nas palavras.

Quem vive tem bagagem de sobra nas questões do coração, e nas palavras certas, nos tons certos, nas combinações certas, somos atingidos a cada conto pela verossimilhança. Mas é a quebra de expectativa, que, junto ao caimento das palavras no nosso peito, forma um furacão dentro de nós.


Dados Técnicos do Livro:

Capa comum: ‎152 páginas
Autora: ‎Rebeca Liberbaum
Editora: ‎Patuá; 1ª edição (2022)
ISBN-13: ‎ 978-6558642763
*Exemplar recebido como cortesia da Agência Literária Oasys Cultural.
Adquira o seu preferencialmente através do site da editora.

2 comentários

    1. Obrigada pela confiança no meu trabalho ❤ Quando um autor escreve e o leitor o lê, o ciclo da obra torna-se eterno, ganha vida própria e percorre novos caminhos no imaginário de outros. Adorei a leitura.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s