O Homem de Giz – C. J. Tudor

Em outubro me propus a ler ao menos um thriller, para que eu pudesse sentir, de alguma forma – ainda que só de leve –, o clima de Halloween pelo qual o mês é lembrado. O escolhido da vez foi O Homem de Giz, o primeiro livro da autora C. J. Tudor, a qual eu…

Cem: o que aprendemos na vida – Heike Faller e Valerio Vidali

Sinopse: Tudo o que acontece ao longo de uma vida está neste livro. A cada página uma idade, de zero a cem anos, com as emoções, conquistas, angústias e perdas que estão presentes na trajetória de cada um de nós. Cem é um livro para ser lido e relido, sozinho ou em grupo, por crianças,…

Daqui pra Baixo – Jason Reynolds (Caixa de Junho – Intrínsecos)

Começo o post pedindo desculpas por não estar conseguindo seguir as leituras das Caixas do Clube Intrínsecos na regularidade que gostaria, ou seja, apenas um por mês. O último que li foi o da Caixa de Março (2019), e já estamos em julho. Felizmente, o de junho, graças à proposta da própria obra, permitiu que…

Nove Desconhecidos – Liane Moriarty (Caixa de Fevereiro – Intrínsecos)

A caixinha de Fevereiro do Clube Intrínsecos não poderia ter chegado num momento mais afortunado! Eu havia acabado de terminar a leitura de um livro, e nem tive que me preocupar em esmiuçar minha estante repleta de livros para decidir a próxima leitura. Fui buscar as correspondências na portaria e que surpresa boa! Lá estava…

Resenha: Precisamos falar sobre o Kevin – Lionel Shriver

Sinopse:  Kevin Khatchadourian, 16 anos, é autor de uma chacina na qual matou sete colegas, uma professora e um servente num colégio dos EUA. Neste livro, a autora fez um thriller psicanalítico em que a mãe do assassino escreve cartas ao pai ausente. Discute casamento, maternidade e família, enquanto denuncia o que há com sociedades…

Resenha: O Construtor de Pontes – Markus Zusak

Estou assinando o clube de livros da editora Intrínseca, chamado Intrínsecos, desde outubro/2018, que foi o mês que o clube começou. Mas, por questões pessoais, ainda não li todos (tem sempre tanto livro na frente e aquela lista interminável de “livros para ler”…). Acontece que a Intrínseca caprichou mais que nunca no mês de dezembro/2018,…

Resenha: Ainda sou eu – Jojo Moyes

Sinopse: A  carismática Louisa Clark vai para Nova York, onde conseguiu um novo emprego, bem longe de Londres, de seu namorado, de sua família, e da zona de conforto a que sempre esteve acostumada antes de ter conhecido Will Traynor. Mas já se passaram muitos anos, ela já vivenciou muitas coisas – trágicas e alegres,…

“Ikigai: Os segredos dos japoneses para uma vida longa e feliz”

Minha avó estava passeando um dia conosco numa livraria e viu esse livro chamado “Ikigai”, e o título logo lhe chamou a atenção. Ela imediatamente me disse “Nossa! Ikigai… sabe que essa palavra é muito boa, né? Tem significado muito bom!”, e então ela acabou comprando o livro. Minha avó é nascida no Brasil, mas…

Resenha: Por favor, cuide da mamãe – Kyung-Sook Shin

Quem me segue no Instagram também sabe que eu realmente vou atrás dos livros que outras pessoas postam e pelos quais me interesso. A leitura do livro de hoje foi exatamente assim que aconteceu. A Dayane do @leiturela havia postado no feed dela já há algum tempo (na época em que nossos IGs ainda nem eram…

Miniaturista – Jessie Burton, e Rijksmuseum

Miniaturista é o romance de estreia de Jessie Burton. Aqui no Brasil, o livro foi publicado pela editora Intrínseca em 2015. Confesso que, assim como muitos livros, Miniaturista chamou a minha atenção pela capa e pelo preço atrativo na Amazon. Eu tenho mania de comprar livros sem nem ler a sinopse. Ora, me julguem. Quem…

Pequenas Grandes Mentiras – e muffin de banana!

Ontem terminei de ler Pequenas Grandes Mentiras (Big Little Lies). Eu havia comprado o livro há algum tempo, mas acabei assistindo à minissérie antes de ler o material original. Acontece. Afinal, quem aqui não tem uma pilha interminável de livros para ler? Livro:  A história no livro se passa na imaginária Península de Pirriwee, na…

A Arte do Descaso

A Arte do descaso foi um livro que eu comprei logo depois que voltei da viagem de Buenos Aires em julho de 2016, após ter sido devidamente “exposta” ao mundo da arte, tanto da capital portenha como também em decorrência da minha viagem à Holanda em setembro de 2015. Foi um daqueles livros que eu…